A mulher, sua imagem e seus ciclos

quarta, 07 de março de 2018 às 12:15:00
ciclos

No dia 8 de março comemora-se o Dia da Mulher e essa data traz um convite para refletir sobre temas como a imagem corporal e os ciclos femininos, bem como para falar sobre como a alimentação adequada garante saúde em todos os momentos da vida, conjugando harmonicamente a estética e o bom funcionamento do organismo

A professora e nutricionista Telma Souza e Silva Gebara escreveu o artigo “Você é linda, mais que demais, você é linda sim!”, que disserta sobre como a indústria cultural afeta a imagem corporal das mulheres e qual o papel do nutricionista e do alimento neste quadro. Segundo a nutricionista, saúde e boa forma são preocupações que perpassam todos os segmentos da sociedade, especialmente o do público feminino. A imagem corporal é a forma pela qual o corpo se apresenta para si próprio e a indústria cultural cria desejos e reforça a padronização dos corpos. "Percebe-se uma verdadeira ‘ditadura da magreza’ imposta pela mídia, que torna as pessoas obsessivas em relação à alimentação, principalmente as mulheres. Essas contradições levam os indivíduos a dúvidas que envolvem duas questões básicas: de um lado o desejo de atingir a estética corporal ideal, de outro, a manutenção da saúde”, argumenta.

Segundo Telma, a alimentação apresenta aspectos essenciais e variados para a saúde e o nutricionista é o profissional qualificado para atender a essa demanda. "A alimentação humana envolve aspectos psicológicos, fisiológicos e socioculturais, o que a transforma em um fenômeno de grande complexidade. A busca pelo aconselhamento nutricional tem aumentado nos últimos anos, uma vez que está clara a relação entre alimentação adequada, prevenção em saúde e aumento da qualidade de vida. A educação nutricional pode promover o desenvolvimento da capacidade de compreender práticas e comportamentos. O Nutricionista deve estar disposto a considerar o estado emocional do cliente (ansiedade, nervosismo e insatisfação) declarado verbalmente, por meio de gestos, postura, movimento do corpo, expressões faciais, qualidade da voz e até mesmo o silêncio”, diz.

Os Ciclos da mulher e a nutrição

A alimentação das mulheres, em todas as faixas etárias, deve ser capaz de garantir a saúde e bem-estar, por meio de nutrição adequada em situações especiais, como a gestação, a amamentação e a menopausa, ciclos em que ocorrem alterações hormonais e nos quais aumenta a demanda por energia e determinados nutrientes. Cabe lembrar que o acompanhamento nutricional é importante para atender às necessidades energéticas e nutricionais da mulher, de acordo com suas características individuais.

Telma Gebara explica que para a mulher em fase de crescimento e adulta é essencial o fornecimento adequado de proteínas, como, por exemplo, o encontrado nas carnes, que também contêm ferro, e que, quando ausente nos hábitos alimentares, pode causar anemia. “É muito importante, também, o consumo diário de frutas e verduras, além de um fornecimento de fibras e vitaminas, considerados nutrientes protetores de doenças como câncer de mama e colo de útero” diz.

Gestação, amamentação e menopausa

A nutricionista também esclarece que em situações como a gestação, a amamentação e a menopausa, ciclos em que há alterações hormonais e que trazem uma maior demanda de determinados nutrientes, são necessárias medidas que garantam o fornecimento adequado de proteínas de alto valor biológico, contidas nas carnes, aves, peixes, ovos, leite e derivados. “As carnes também garantem um bom fornecimento de ferro, já que a necessidade deste nutriente é maior nas mulheres em idade fértil e sua deficiência pode causar a anemia. As proteínas são determinantes na manutenção da pele saudável e do bom tônus muscular. O leite e seus derivados são excelentes fontes de cálcio e de vitamina D. A deficiência de cálcio pode resultar em osteoporose, mais comum em mulheres. Já as mulheres a partir dos 50 anos possuem maior exigência de ingestão de cálcio e vitamina D, encontrados no leite e derivados, no tofu, soja, peixes, espinafre e demais folhas verde escuras, e também de vitamina B6 e de água”.

Além disso, é importante consumir vegetais e frutas que forneçam fibras e vitaminas, sendo também considerados nutrientes protetores de doenças como, por exemplo, o risco de câncer de mama e colo de útero e antioxidantes, evitando os danos do tempo. Os requerimentos desses nutrientes podem ser atingidos com o consumo diário de verduras e legumes nas principais refeições e de quatro a cinco porções de frutas durante o dia.

Cereais Integrais

Para Telma, os carboidratos, devem compor aproximadamente 60% da dieta de mulheres em todas as idades, ressaltando a opção por integrais. “Os cereais integrais, além de excelente fonte de energia, auxiliam no bom funcionamento intestinal, são fontes de zinco, importante mineral que desempenha papel vital para a síntese das proteínas e ajuda na regulação da produção de células do sistema imunológico do corpo humano. Os cereais integrais ainda ajudam a regular os níveis de colesterol e de açúcar absorvidos através da alimentação”, explica.

Guia Alimentar

O Guia Alimentar para a População Brasileira oferece algumas dicas de ouro para a promoção da saúde, como, por exemplo, ter uma alimentação com base em alimentos in natura e minimamente processados, reduzir o consumo de processados e evitar ao máximo o consumo de alimentos ultra processados. Essa dica é valiosa em todos os ciclos da vida. Assim, consumir alimentos de verdade é fundamental para o fornecimento de compostos que atuarão protegendo o organismo da instalação ou da progressão de doenças. Além disso, é também fundamental, ter uma boa relação com a alimentação, valorizar o prazer em se alimentar de maneira equilibrada, construir ambientes alimentares harmoniosos e praticar atividade física orientada por profissional capacitado.

Parabéns - No Dia da Mulher, o Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região parabeniza a todas as mulheres pelo seu dia, com muita saúde e nutrição. E ressalta a importância do acompanhamento nutricional realizado por profissional competente e registrado em conselho profissional.