Dia Mundial do Coração alerta para o combate às doenças cardiovasculares

segunda, 01 de outubro de 2018 às 00:00:00
love-313417_1280.jpg

No dia 29 de setembro é comemorado o Dia Mundial do Coração. A data tem o objetivo de engajar a população no cuidado e prevenção de doenças cardiovasculares (DCV), bem como promover a conscientização de práticas físicas e alimentares saudáveis.

Segundo informa o Ministério da Saúde (MS), as doenças cardiovasculares são a primeira causa de mortalidade no Brasil. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) demonstram que as DCVs representaram mais de 30% dos óbitos no mundo em 2015 e em países como o Brasil atingem mais de três quartos das causas de morte. O MS aponta para mais um fator preocupante: em 2017 verificou-se que mais da metade da população brasileira está com excesso de peso ou obesidade.

O Conselho de Nutricionistas da 8ª Região conversou com Jaqueline Stramantino, nutricionista com especialização em Nutrição Clínica Funcional e Fitoterápica, para entender como a nutrição pode ser aliada na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares.

“As doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no Brasil, tanto em homens quanto em mulheres. Isso está relacionado com o estilo de vida atual da população, sedentarismo, elevado nível de estresse, aumento do consumo de alimentos ultraprocessados e dieta inflamatória. O papel da nutrição está na prevenção dessas doenças por meio da inserção de alimentos cardioprotetores na alimentação da população”, afirmou Jaqueline.

Ela ainda ressalta a importância desses alimentos, por serem ricos em de compostos bioativos e cita alguns dos principais cardioprotetores:

  • Alimentos ricos em caroteno como frutas e verduras (mamão, melancia, pêssego, espinafre, cenoura e abobora);
  • Alimentos ricos em catequinas (chá verde, maçã verde, chocolate amargo e uva);
  • Alimentos ricos em ácido graxos ômega 3 (peixes de água fria, linhaça e semente de chia);
  • Alimentos ricos em quercetina (cebola, chá verde, chá preto e maçã);
  • Alimentos ricos em antocioninas (uva, jabuticaba, açaí, amora, framboesa, ameixa, berinjela);
  • Alimentos ricos em resveratrol (uva e amendoim);
  • Alimentos ricos em flavonóides (chá verde, chá preto, soja, brócolis, tomate, frutas cítricas, couve, chocolate amargo, abobora, salsa);
  • Alimentos ricos em prebióticos (chicória, farelo de aveia, centeio e aipo);
  • Alimentos ricos em probióticos (kefir, iogurtes com probióticos)

“O consumo desses alimentos associados ao tratamento tradicional só agrega benefícios para a saúde, porque cada um dos compostos bioativos presentes irá agir como antioxidante, reduzindo o colesterol total, o LDL (colesterol ruim) e os triglicerídeos, diminuindo a pressão arterial, reduzindo citocinas inflamatórias e modulando algumas células, além de outras funções”, completou, a nutricionista.