Qualidade da alimentação é fundamental para prevenir e tratar hipertensão arterial

quinta, 26 de abril de 2018 às 00:00:00
dia-mundial-hipertensao-752x360 cópia.png

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial promove mobilização para conscientização acerca do papel da nutrição no controle e prevenção do mal crônico conhecido popularmente como “pressão alta”

Em 26 de abril é celebrado o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. O principal objetivo da data é conscientizar a população sobre os cuidados a serem tomados para a prevenção da hipertensão arterial, a chamada “pressão alta”. O problema é usualmente crônico e indica a ocorrência de elevação da pressão arterial. Além disso, é um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Os principais sintomas são: tontura, falta de ar, palpitações, dor de cabeça frequente e alteração na visão, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 21,4% da população brasileira, com 18 anos ou mais, foram diagnosticadas com pressão alta, sendo que dentre esses, 24,2% são mulheres e 18,3% são homens. Obesidade, histórico familiar, estresse, envelhecimento, hábitos alimentares não adequados são alguns dos causadores da hipertensão. O tratamento, conforme a Sociedade Brasileira de Cardiologia, está relacionado principalmente na prática de um estilo de vida mais saudável, incluindo a mudança de hábitos alimentares.

Segundo a nutricionista Angelica Koerich, da Divisão de Risco Cardiovascular da Superintendência de Atenção à Saúde da Secretária da Saúde do Paraná (SESA), a adoção de uma alimentação saudável, com baixa ingestão de alimentos processados e ultraprocessados, ajuda a prevenir ou mesmo retardar o desenvolvimento da doença crônica. “É importante manter uma dieta rica em frutas, vegetais e alimentos com baixo teor de gorduras para evitar que o paciente desenvolva doenças cardiovasculares, como o acidente vascular encefálico ou o infarto agudo do miocárdio, eventos que podem matar ou incapacitar”, afirma.

Outro fator importante para a prevenção e tratamento, apontado pela nutricionista, são a baixa ingestão de sódio e a ingestão energética adequada. “O paciente precisa ingerir no máximo 2000 mg de sódio por dia, equivalente a 5g de sal”, complementou. Este fator de cuidado deve ser ressaltado, pois a ingestão excessiva de sódio está diretamente relacionada com o desenvolvimento da hipertensão arterial”, explica.