A água é aliada fundamental para uma vida saudável

A água é aliada fundamental para uma vida saudável

A água é imprescindível para a manutenção de uma vida saudável. Ela é responsável por regular a temperatura corporal, transportar nutrientes e eliminar resíduos, além de lubrificar as articulações e participar de processos metabólicos essenciais, como a absorção de nutrientes e a eliminação de resíduos. A nutricionista e conselheira do Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8) Ana Paula Garcia explica que assegurar uma ingestão hídrica adequada é o ponto de partida para uma vida saudável.

Neste dia 22 de março é celebrado o Dia Mundial da Água. A data foi instituída em 1993 pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de promover a conscientização sobre a importância da água para a nossa sobrevivência.

A quantidade de água necessária que uma pessoa deve beber durante o dia para garantir uma boa hidratação varia de pessoa para pessoa. “Estimar a quantidade diária de água necessária envolve diversas fórmulas e abordagens. A regra geral de 2 litros nem sempre é aplicável. Podemos calcular entre 30 a 35 ml por quilo de peso corporal ou estimar 1 ml para cada caloria consumida, embora isso possa variar em casos de déficit calórico ou situações específicas”, explica Ana Paula.

No entanto, a falta da quantidade ideal de água é refletida diretamente em nosso corpo, que sinaliza a necessidade do líquido de maneiras inteligentes. “A sede é um alerta, indicando que o corpo já pode estar começando a desidratar. Observar a cor da urina é outra indicação: cores mais intensas e odor mais forte podem sugerir uma ingestão insuficiente”, ressalta a nutricionista.

Quem não tem o hábito frequente de tomar água precisa recorrer a algumas táticas, “Carregar uma garrafinha de água consigo é uma prática eficaz”, recomenda a conselheira do CRN-8. Para esses casos, a nutricionista também indica o consumo de águas saborizadas naturalmente com frutas ou ervas, além do uso de aplicativos instalados no celular para lembrar o consumo. “Experimentar água saborizada ou com gás pode tornar o processo mais agradável. Aplicativos de lembrete também são úteis para criar consistência no consumo diário”, destaca.

Além do consumo direto do líquido, outros alimentos e nutrientes ricos em água são indicados para manter um bom nível de hidratação. “Dois grupos destacam-se: frutas, hortaliças e vegetais, ricos em água, como melancia e pepino. Além disso, eletrólitos presentes em alimentos como bananas e laranjas desempenham um papel crucial no equilíbrio hídrico”, aponta Ana Paula.

O Dia Mundial da Água também é uma ocasião para lembrar sobre a importância do consumo sustentável deste recurso natural. A nutrição pode promover práticas sustentáveis, como explica Ana, “orientando escolhas alimentares com menor impacto ambiental, especialmente diante da escassez de água’. Para isso, a nutrição, por exemplo, pode “conscientizar sobre o impacto de grandes operações industriais e a produção de gado no consumo hídrico, incentivar a compra de pequenos produtores e participar de feiras locais”.

EM AUDIÊNCIA, CRN-8 DEFENDE COZINHAS SOLIDÁRIAS PARA COMBATE À FOME

EM AUDIÊNCIA, CRN-8 DEFENDE COZINHAS SOLIDÁRIAS PARA COMBATE À FOME

O Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8) defendeu, durante audiência pública realizada na quarta-feira (22) na Assembleia Legislativa do Paraná, a implantação de políticas públicas para combater a fome e a desnutrição no Paraná. A audiência foi proposta pelo deputado estadual Requião Filho. Um dos mecanismos são as Cozinhas Solidárias, medida considerada essencial para o combate à insegurança alimentar em todo o país.

A coordenadora técnica do CRN-8, Carolina Bulgacov Dratch, lembrou que a missão do Conselho é “defender o direito humano à alimentação saudável, contribuindo para a promoção da saúde da população”. “É preciso atuar em união e comprometimento para defender o Direito Humano à Alimentação Adequada e Saudável e pela busca incessante da Segurança Alimentar e Nutricional”, ressaltou.

Carolina destacou que é necessário existir por parte do poder pública a garantia de recurso financeiros para a organização, implementação e manutenção da proposta e do funcionamento. Além disso, ela ressaltou a importância da lei federal 14.628, de 20 julho de 2023, que instituiu o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Cozinha Solidária.  “É imprescindível que tenhamos nutricionistas nas Cozinhas Solidárias para auxiliar no planejamento, na organização, evitando o desperdício de alimentos e promovendo ações de educação alimentar e nutricional”, avaliou.

Segundo ela, oportunizar acesso a alimentos seguros e saudáveis é fundamental. “Criar e ampliar ações e ferramentas para que a população em vulnerabilidade passe a ter acesso à alimentação em quantidade, qualidade, respeitando a cultura alimentar, é emergencial. A ampliação das hortas urbanas, comunitárias e cozinhas solidárias são algumas das possibilidades”, enfatizou durante a audiência.

Diante deste contexto, a Cozinha Solidária, neste contexto, torna-se uma iniciativa importante e necessário em todo Paraná. “A iniciativa objetiva fornecer alimentação para pessoas em situação de vulnerabilidade social e diminuir a situação de insegurança alimentar e nutricional no Estado. Para isso, se faz necessário planejar a Instalação de cozinhas solidárias em localidades em que a população mais vulnerável tenha acesso”, afirmou.

O EVENTO

O evento reuniu representantes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do Ministério Público, do Conselho Regional de Nutrição, do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional, do Fórum Estadual de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, além de representantes de cozinhas solidárias e integrantes de movimentos sociais. Segundo dados de uma pesquisa divulgada pela FGV Social, a insegurança alimentar no Brasil atingiu 36% da população em 2021. A situação é ainda mais grave entre os 20% mais pobres, onde a insegurança alimentar saltou de 53% para 75%.

Participaram da audiência superintendente regional da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab-PR), Walmor Bordin; Ana Carolina de Almeida, do Eixo de Direito Humano à Alimentação Adequada do Ministério Público do Paraná (MP-PR), o promotor de Justiça do MP-PR, André Luis Araújo; a representante do Fórum Estadual de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Fessan-PR), Elza Campos; e a chefe do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (Desan), Márcia Stolarski.

De acordo com os participantes, as cozinhas solidárias têm um papel fundamental no combate à pobreza alimentar, proporcionando acesso a alimentos de qualidade para pessoas em situação de vulnerabilidade social. Geridas pela sociedade civil, as cozinhas solidárias ganharam destaque durante a pandemia da covid-19, fornecendo alimentos gratuitos durante o cenário de crise socioeconômica.

Participações populares

A líder comunitária da Vila Sambaqui, do Sítio Cercado, Dona Meire, trouxe o exemplo do trabalho voluntário que realiza em Curitiba, e emocionou o público. Além dela, integrantes do MTST e Batuque Formiga, e a nutricionista do programa Mesa Brasil, do SESC também falaram da experiência com os projetos que participam.

CRN-8 realiza evento em homenagem aos TNDs do Paraná

CRN-8 realiza evento em homenagem aos TNDs do Paraná

O Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região (CRN-8) realizou nesta terça-feira (27) o evento “Novas conquistas, novas oportunidades: a regulamentação do TND e o que se projeta para o futuro” em homenagem aos cerca de 200 técnicos em Nutrição e Dietética que atuam no Paraná. No dia 27 de junho é celebrado o Dia dos TNDs em todo o território nacional.

         A atividade contou com palestras da cientista política e assessora parlamentar do Conselho Federal de Nutricionistas, Gerlane Alves, e do TND Rafael Marçal, que é pós-graduado em Vigilância Sanitária e Qualidade dos Alimentos. A atividade foi realizada na Sala de Reuniões da Praça San Marco, no Shopping Itália, em Curitiba.

O espaço ficou completamente lotado. Além disso, as palestras foram transmitidas ao vivo pela internet. A Delegacia do CRN-8 de Londrina veiculou o evento em tempo real.

A presidente do CRN-8, Cilene da Silva Gomes Ribeiro, realizou a abertura do evento enaltecendo o papel fundamental que os TNDs exercem em prol da segurança alimentar e nutricional. “A profissão existe há mais de 80 anos, exercendo papeis fundamentais em unidades de saúde, escolas, restaurantes, centros de acolhimento, projetos sociais, pesquisas e produção de alimentos para alimentação segura e saudável”, afirmou.

Além disso, a presidente anunciou que o Conselho irá criar uma comissão provisória para atender as demandas dos TNDs do Paraná. Essa proposta será levada ao plenário para que seja debatida e a expectativa é que seja aprovada ainda este ano.

REGULAMENTAÇÃO

A assessora parlamentar do CFN, Gerlane Alves, explicou sobre os impactos do projeto que regulamenta a profissão de técnico em Nutrição e Dietética. Essa proposta já foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados. A matéria será apreciada no Senado Federal e deve ser sancionada ainda este ano.

“Foi um grande avanço conseguirmos fazer tramitar esse projeto na Câmara dos Deputados. No final do ano de 2021, o CFN conseguiu sugerir alterações ao projeto inicial e colocá-lo na pauta da Câmara dos Deputados”, contou.

Por meio do projeto foram sugeridas duas alterações. A primeira é que os Conselhos Federal e Regionais de Nutricionistas passarão a ser denominados, respectivamente, Conselho Federal de Nutrição (CFN) e Conselhos Regionais de Nutrição (CRN).

Além disso, ficará assegurada a participação de um representante dos TND, efetivo e suplente, na Composição dos Conselhos Regionais, de forma não cumulativa, quando o número de TND inscritos ativos for maior que 10% do total de profissionais nutricionistas. Além disso, a anuidade dos técnicos em Nutrição e Dietética corresponderá a, no máximo, 50% do valor estipulado para o nutricionista.

Com a aprovação do projeto, será regulamentada legalmente a fiscalização da categoria permitindo, por exemplo, a implantação de um Conselho de Ética específico para os TNDs.

UNIÃO

O técnico em Nutrição e Dietética Rafael Marçal ressaltou a importância da categoria se manter unida para pleitear melhorias para a profissão. “Além disso, a nossa profissão não é apenas um curso técnico. Temos que entender que por meio do nosso trabalho podemos levar qualidade de vida, conhecimento e uma vida saudável às pessoas”, afirmou Marçal, que atua como TND desde 2011.

Ele destacou ainda que o mercado de trabalho da categoria que é amplo. “A gama de oportunidades é muito grande. Podemos atuar em hospitais, empresas de alimentação, apoio em fiscalizações. Existe campo para a nossa categoria. O mais importante de tudo é que categoria se mantenha unida e que um colega ajude o outro”, salientou.

ATIVIDADES DE 2023 DO CRN-8 NAS IES COMEÇARAM NESTA SEMANA

ATIVIDADES DE 2023 DO CRN-8 NAS IES COMEÇARAM NESTA SEMANA

O Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8) realizou nesta semana o primeiro evento do ano do programa CRN-8 nas Instituições de Ensino Superior (IES). A palestra foi realizada para estudantes do 9º período do curso de Nutrição da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

         A coordenadora do Setor de Fiscalização do CRN-8, Julisse Klemtz Wagner, e a coordenadora técnica, Carolina Dratch, abordaram temas sobre a ética profissional, fiscalização do exercício profissional e como o Conselho atua no sentido orientativo e na fiscalização dos nutricionistas em todo o Paraná.

         Para a professora Rubia Thieme, que leciona na UFPR, é muito importante para os alunos que estão se formando terem contato com os profissionais do CRN-8. “Um evento como esse aproxima o estudante do órgão que representa a profissão do nutricionista. Além de ser um ótimo momento para sanar dúvidas em relação à atuação profissional”, afirma.

Rubia ressalta ainda que a palestra contribuiu para os alunos “refletirem sobre a postura ética e as condutas da profissão”. “Eles também passam a entender sobre o papel orientativo que o CRN-8 exerce para a categoria”, complementa.

O objetivo do programa CRN-8 nas IES é, justamente, aproximar os estudantes, futuros técnicos em nutrição e dietética, do Conselho, e levar informações importantes acerca da prática profissional. Com isso, o Conselho amplia a visibilidade de suas ações e incentiva a prática profissional ética, crítica e competente.

“Um evento como esse é de fundamental importância para que os alunos que estão prestes a entrar no mercado de trabalho reflitam sobre a importância da ética na profissão e de como as regras vigentes precisam ser respeitadas”, ressalta Julisse Wagner.

A coordenadora técnica, Carolina Dratch, complementa que o contato entre os profissionais do CRN-8 e estudantes é extremamente benéfico para ambas as partes. “Os acadêmicos passam, por exemplo, a entender a função do Conselho, que sempre estará de portas abertas para atendê-los. Um evento como esse é um momento extremamente oportuno para provocar a reflexão sobre a importância da profissão de nutricionista para a saúde da população”, salienta.    

Conselho de Nutricionistas do PR lança programa RepresentAção nesta semana

Conselho de Nutricionistas do PR lança programa RepresentAção nesta semana

Um projeto para ampliar e fortalecer a representatividade dos nutricionistas e técnicos em nutrição e dietética em todas as regiões do Paraná. É com esse objetivo que nasce nesta semana o programa “RepresentAção” desenvolvido pelo Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8). A proposta é aumentar a participação do Conselho junto à sociedade e aproximar a entidade de estudantes, profissionais, instituições de ensino e gestores públicos.

Para isso, os profissionais poderão se candidatar para se tornarem representantes do Conselho em cada uma das 10 regiões geográficas do Paraná – essa divisão segue o que determina a legislação estadual. Para se candidatar à vaga, o nutricionista deve estar ativo no CRN-8 por, no mínimo, dois anos e estar em dia com as responsabilidades financeiras junto ao Conselho.

Além disso, o profissional não pode ter sofrido qualquer penalidade nos últimos cinco anos e não pode estar respondendo algum processo de apuração ético-disciplinar. O edital completo, incluindo a divisão regional do Paraná, está disponível no site do Conselho (https://crn8.org.br/programa-representacao-crn-8-no-parana).

O nutricionista deverá preencher a ficha de inscrição disponível no link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdiWIllWHxto0ymUpFoF8LB8JAK1XshG2TPegeWSjVqKBNmqQ/viewform. Também deverá enviar o currículo para o e-mail: gerencia@crn8.org.br. O prazo de inscrições segue até o dia 27 de fevereiro.

“O projeto foi pensado com muito carinho, para aproximar os nutricionistas e técnicos em nutrição e dietética ao Conselho e para que haja uma propagação das ações no estado do Paraná junto à sociedade”, afirma a presidente do CRN-8, Cilene Ribeiro. A análise da candidatura será realizada por uma comissão designada e ocorrerá por meio de avalição da documentação exigida no edital e entrevista virtual. A representação neste programa não configura vínculo empregatício com o CRN-8. Trata-se de um cargo honorífico.

O programa também busca viabilizar a realização de eventos científicos nas instituições de ensino superior e técnico do estado. Outro objetivo é a ampliação de ações políticas na região, os canais de comunicação com os inscritos. Além de valorizar o nutricionista e o técnico em nutrição, incentivar a prática profissional ética, critica e competente, divulgando a missão do CRN-8.

O representante participará da integração e reunião de orientações com o CRN-8, além de encontros virtuais com apresentação do relatório e discussão das ações a serem realizadas. Os representantes também receberão ajuda de custo. Cada representante ocupará a vaga durante um ano, sendo possível a prorrogação por mais um ano.