CRN-8 se reúne com membros do MP-PR para discutir políticas nutricionais

CRN-8 se reúne com membros do MP-PR para discutir políticas nutricionais

Buscar mecanismos legais para garantir segurança alimentar e nutricional à população dos 399 municípios do Paraná. Esse foi o propósito de encontros realizados na semana passada entre diretores e funcionários do Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8) e membros do Ministério Público do Paraná (MP-PR). Estiveram presentes nas reuniões a presidente do CRN-8, Cilene da Silva Gomes Ribeiro, a vice-presidente Thatielly Schwarzbach, a coordenadora técnica Carolina Bulgacov Dratch e o representante do Conselho Federal de Nutricionistas, Alexsandro Wosniaki, que também é servidor na Prefeitura de Araucária.

As reuniões foram realizadas com o coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção (CAOP) à Saúde Pública, procurador de Justiça Marco Antonio Teixeira, e com o coordenador do CAOP de Proteção aos Direitos Humanos, procurador de Justiça Olympio de Sá Sotto Maior Neto. Foram tratadas de questões, como obesidade, fome, falta de políticas públicas e a escassez de assistência nutricional para a sociedade.

Reunião com procurador de Justiça Olympio de Sá Sotto Maior Neto

“São poucos os nutricionistas que atuam na saúde básica em todos os municípios do Paraná”, ressalta a presidente. Em Curitiba, por exemplo, são apenas 20 nutricionistas que atuam na saúde primária – conforme levantamento do CRN-8. Além disso, há uma escassez de profissionais atuando em hospitais e em instituições de longa permanência para idosos, por exemplo. “Isso afeta diretamente a saúde da população. Procuramos o Ministério Público para que, juntos, possamos assegurar políticas públicas municipais que garantam segurança alimentar e nutricional para a população mais vulnerável”, salienta Cilene.

Reunião com procurador de Justiça Marco Antonio Teixeira

CRN-8 Jovem terá suas atividades retomadas em abril

CRN-8 Jovem terá suas atividades retomadas em abril

O programa CRN-8 Jovem terá as suas atividades de 2024 retomadas em abril. O primeiro encontro será realizado no dia 15. O objetivo do programa é aproximar o acadêmico de graduação em Nutrição e o acadêmico do curso Técnico em Nutrição e Dietética do Paraná com o Sistema Conselho Federal de Nutricionistas/Conselho Regional de Nutricionistas (CFN/CRN).

A coordenadora da Comissão de Formação Profissional do CRN-8, Tatiana Marin, ressalta a importância da participação do corpo acadêmico no programa. “É importante que o representante do CRN-8 Jovem compartilhe as informações nas instituições de ensino e desenvolva estratégias para multiplicar as informações para todos os alunos, professores e demais envolvidos no processo de formação profissional”, ressalta.

Para participar do programa, a instituição de ensino interessada deverá indicar dois acadêmicos, sendo um titular e um suplente. As reuniões ocorrerão de modo híbrido: presencial na sede do CRN-8, em Curitiba, e de modo virtual. Ao todo, deverão ser realizadas oito reuniões no ano. Esses encontros serão agendados de acordo com o cronograma de eventos e reuniões da Comissão de Formação Profissional do CRN-8 e terão duração de uma hora, em média.

Os integrantes do CRN-8 Jovem poderão participar das seguintes atividades: campanhas externas realizadas pelo CRN-8, discussão sobre temas atuais e polêmicos inerentes à profissão, que estiverem sendo debatidos pelo Sistema CFN/CRN e outras atividades a serem definidas no decorrer do programa. Os acadêmicos receberão certificado anual da participação no CRN-8 Jovem.

O convite para as reuniões do CRN-8 Jovem será encaminhado aos participantes por meio do grupo de WhatsApp do programa.

Confira dicas e orientações para consumir chocolates

Como consumir chocolates de maneira saudável na Páscoa

Os chocolates costumam adoçar os paladares na época da Páscoa e, se consumidos com moderação, podem trazer uma série de benefícios à saúde. Por conter antioxidantes, ajudam a reduzir o risco de câncer e doenças cardiovasculares, além de aumentar a produção de serotonina no cérebro, o que melhora o humor e alivia o estresse.

No entanto, para se obter esses benefícios, o indicado é consumir produtos com alta concentração de cacau: quanto maior o teor, mais propriedades benéficas o chocolate trará ao nosso organismo. O alerta é da nutricionista Graziela Beduschi, profissional inscrita junto ao Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8). “O cacau contribui para a diminuição da pressão arterial e contribui para a flexibilidade dos vasos sanguíneos” aponta.  “Além de efeito antioxidante, anti-inflamatório e neuroprotetor, o cacau apresenta efeitos positivos na inibição do crescimento de células cancerosas, exercidas pelos flavonoides”, salienta profissional.

Os grãos de cacau ainda contêm xantina e teofilina, que atuam no relaxamento dos brônquios podendo ajudar a combater alergias, asma e falta de ar. O chocolate também pode apresentar uma série de vantagens à mente. “Estudos mostram que os flavonoides do cacau colaboram na melhora do humor, no combate à depressão e na promoção de atividades cognitivas. Citam-se também efeitos positivos no tratamento de enfermidades neurodegenerativas, como o Mal de Alzheimer”, afirma Graziela.

Porém, alguns cuidados devem ser tomados em relação ao consumo excessivo de chocolate. A nutricionista alerta que, se consumidos em excesso, podem provocar cólicas estomacais e intestinais, diarreia, refluxo, náuseas, dor de cabeça, acne e até processos alérgicos (coceiras, vermelhidão ou bolhas na pele, entre outros).

“A longo prazo a ingestão exagerada de chocolate acelera o ganho de peso. O chocolate é um alimento de altíssima densidade calórica, além de sobrecarregar o pâncreas, alterando assim o funcionamento da insulina no corpo. As consequências disso são muitas e a mais perigosa delas é a diabetes, doença que ocorre quando há elevação de glicose no sangue”, ressalta Graziela. 

A água é aliada fundamental para uma vida saudável

A água é aliada fundamental para uma vida saudável

A água é imprescindível para a manutenção de uma vida saudável. Ela é responsável por regular a temperatura corporal, transportar nutrientes e eliminar resíduos, além de lubrificar as articulações e participar de processos metabólicos essenciais, como a absorção de nutrientes e a eliminação de resíduos. A nutricionista e conselheira do Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8) Ana Paula Garcia explica que assegurar uma ingestão hídrica adequada é o ponto de partida para uma vida saudável.

Neste dia 22 de março é celebrado o Dia Mundial da Água. A data foi instituída em 1993 pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de promover a conscientização sobre a importância da água para a nossa sobrevivência.

A quantidade de água necessária que uma pessoa deve beber durante o dia para garantir uma boa hidratação varia de pessoa para pessoa. “Estimar a quantidade diária de água necessária envolve diversas fórmulas e abordagens. A regra geral de 2 litros nem sempre é aplicável. Podemos calcular entre 30 a 35 ml por quilo de peso corporal ou estimar 1 ml para cada caloria consumida, embora isso possa variar em casos de déficit calórico ou situações específicas”, explica Ana Paula.

No entanto, a falta da quantidade ideal de água é refletida diretamente em nosso corpo, que sinaliza a necessidade do líquido de maneiras inteligentes. “A sede é um alerta, indicando que o corpo já pode estar começando a desidratar. Observar a cor da urina é outra indicação: cores mais intensas e odor mais forte podem sugerir uma ingestão insuficiente”, ressalta a nutricionista.

Quem não tem o hábito frequente de tomar água precisa recorrer a algumas táticas, “Carregar uma garrafinha de água consigo é uma prática eficaz”, recomenda a conselheira do CRN-8. Para esses casos, a nutricionista também indica o consumo de águas saborizadas naturalmente com frutas ou ervas, além do uso de aplicativos instalados no celular para lembrar o consumo. “Experimentar água saborizada ou com gás pode tornar o processo mais agradável. Aplicativos de lembrete também são úteis para criar consistência no consumo diário”, destaca.

Além do consumo direto do líquido, outros alimentos e nutrientes ricos em água são indicados para manter um bom nível de hidratação. “Dois grupos destacam-se: frutas, hortaliças e vegetais, ricos em água, como melancia e pepino. Além disso, eletrólitos presentes em alimentos como bananas e laranjas desempenham um papel crucial no equilíbrio hídrico”, aponta Ana Paula.

O Dia Mundial da Água também é uma ocasião para lembrar sobre a importância do consumo sustentável deste recurso natural. A nutrição pode promover práticas sustentáveis, como explica Ana, “orientando escolhas alimentares com menor impacto ambiental, especialmente diante da escassez de água’. Para isso, a nutrição, por exemplo, pode “conscientizar sobre o impacto de grandes operações industriais e a produção de gado no consumo hídrico, incentivar a compra de pequenos produtores e participar de feiras locais”.

Obesidade atinge cerca de 36% da população adulta no Paraná

Obesidade atinge cerca de 36% da população adulta no Paraná

Levantamento do Ministério da Saúde revela que 36% da população adulta do Paraná sofre com algum grau de obesidade. O dado faz parte de uma análise realizada em 2023 do Índice de Massa Corporal (IMC) de mais de 1,6 milhão de homens e mulheres do estado. Neste dia 4 de março é celebrado o Dia Mundial da Obesidade. A data foi estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientizar a população a respeito da doença, melhorar políticas de combate a esse problema de saúde e promover o debate entre agentes e organizações especializadas na prevenção e tratamento da obesidade. Além disso, a data também é uma forma de tentar diminuir o estigma social a respeito da enfermidade.

            De acordo com os dados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) do Ministério, a incidência dos graus 1, 2 e 3 de obesidade é maior nas mulheres paranaenses: cerca de 38% da população feminina é atingida por algum grau de obesidade. O universo avaliado é de 1,1 milhão de mulheres. Já nos homens o percentual da população masculina diagnosticada com algum grau da doença é de 30%.

            A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a obesidade um dos mais graves problemas de saúde. Em 2025, a estimativa é de que 2,3 bilhões de adultos ao redor do mundo estejam acima do peso, sendo 700 milhões de indivíduos com obesidade, isto é, com IMC acima de 30. A doença pode ser porta de entrada para outros problemas de saúde, como diabetes tipo 2, hipertensão e doenças cardiovasculares.

            Para a presidente do Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8), Cilene Gomes Ribeiro, é fundamental estabelecer políticas públicas eficazes para controlar a doença e conscientizar a população. “A falta de regulação na oferta de alimentos ultraprocessados para crianças em escolas, a falta de regulação da publicidade desses alimentos e a própria falta de educação alimentar e nutricional da população contribuem para esse cenário. As políticas públicas têm que envolver questões de acesso a alimentos mais saudáveis, bem como o acompanhamento real da saúde para que se tenha o monitoramento e o atendimento de quem sofre de obesidade”, aponta

            Ela aponta ainda que o índice de obesidade no Paraná é um sinal de alerta para a sociedade. “A obesidade é uma doença multifatorial. Aliada aos fatores fisiológicos e metabólicos, existem fatores de ordem sociais, como acesso exacerbado a alimentos ultraprocessados que possuem muito açúcar, gordura e sódio. Além disso, são alimentos, em geral, mais baratos, com sabores e odores atrativos. Soma-se a isso, o consumo intenso de fast food que, em geral, são ricos em gorduras e em calorias”, aponta Cilene. 

            Desde 2020, a OMS instituiu o dia 4 de março como o Dia Mundial da Obesidade. Anteriormente celebrada no dia 11 de outubro, a data foi alterada para coincidir com a Semana de Cuidados com a Obesidade, que acontece do dia 1 ao dia 7 de março.

PROGRAMA CRN-8 NAS IES INICIA ATIVIDADES DE 2024

PROGRAMA CRN-8 NAS IES INICIA ATIVIDADES DE 2024

O Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8) iniciou na semana passada as atividades do programa CRN-8 nas Instituições de Ensino Técnico e Superior (IES) de 2024. Para este ano, já estão agendados – pelo menos – 10 encontros.

“O CRN-8 realiza palestra orientativa nas Instituições de Ensino Técnico e Superior em nutrição. Essas palestras têm como foco apresentar as finalidades da entidade, bem como as principais legislações da profissão e os casos éticos mais frequentes. Em média, as palestras têm duração de 1 hora”, explica a coordenadora técnica do Conselho, Carolina Dratch.

No ano passado, o CRN-8 realizou 29 palestras do programa CRN-8 nas IES – uma média de 2,4 por mês. Durante as atividades, conselheiras e, também, funcionárias do Conselho abordam temas sobre a ética profissional, fiscalização do exercício profissional e legislações que normatizam a profissão.

Na oportunidade, também são tratados outros assuntos, tais como: a atuação orientativa e fiscalizatória do Conselho. O objetivo do programa CRN-8 nas IES é aproximar os estudantes de Nutrição e os futuros técnicos em nutrição e dietética do Conselho, levando informações importantes acerca da prática profissional. Com isso, o Conselho amplia a visibilidade de suas ações e incentiva a prática profissional ética, crítica e competente.

“Os acadêmicos passam, por exemplo, a entender a função do Conselho, que sempre estará de portas abertas para atendê-los. Além disso, as palestram proporcionam um momento oportuno para provocar a reflexão sobre a importância da profissão de nutricionista para a saúde da população”, salienta Carolina. 

Fotos de atividades do CRN-8 nas IES realizadas em 2023

CRN-8 JOVEM REUNIU ALUNOS DE 20 INSITUIÇÕES DE ENSINO EM 2023

CRN-8 JOVEM REUNIU ALUNOS DE 20 INSITUIÇÕES DE ENSINO EM 2023

O programa CRN-8 Jovem contou com a participação de representantes de 20 instituições de ensino técnico e superior em nutrição do Paraná em 2023. Isso significa um aumento de 42% no índice de participação quando comparado a 2022, quando foi registrada a participação de 14 entidades.

Foram abordados, em um total de oito encontros virtuais, diferentes temas que visaram complementar a formação dos estudantes, tais como: Guia de Ética e Conduta do Acadêmico de Nutrição, Código de Ética e de Conduta do Nutricionista, Resolução CFN 600/2018, Teleconsulta, Fitoterapia, entre outros.

O projeto tem como objetivo aproximar o acadêmico de graduação em Nutrição e o acadêmico do curso técnico em Nutrição e Dietética do Paraná com o sistema “Conselho Federal de Nutricionistas/Conselho Regional de Nutricionistas” (CFN/CRN).  Além disso, os alunos participaram de uma atividade externa em 31/03, data em que se celebra o Dia da Saúde e Nutrição. Os estudantes participaram de uma ação social com o objetivo de orientar a população de Curitiba sobre a importância de uma alimentação saudável. As atividades foram realizadas em parceria com o Serviço Social do Comércio (SESC) e aconteceram no Sesc da Esquina, no centro da capital paranaense.

Já em agosto, os alunos do CRN-8 Jovem, participaram da ação social, em parceria com o Sesc-PR, sobre o Agosto Dourado. Na ocasião, a conselheira do CRN-8, Gisele Pontaroli Raymundo, realizou roda de conversa sobre os benefícios da amamentação para a mãe e o bebê.

Outra ação de destaque realizada pelo programa em 2023 foram os vídeos produzidos pelos estudantes e acadêmicos que foram publicados nas redes sociais do CRN-8. Nos vídeos, os estudantes elaboraram perguntas e respostas sobre questões importantes ligadas a profissão do nutricionista e do técnico em nutrição e dietética.

Do total de instituições de ensino participantes em 2023, 19 participaram desde o início das atividades – apenas uma entidade ingressou durante o segundo semestre.

RETROSPECTIVA 2023: O ANO DAS AÇÕES POLÍTICAS

Retrospectiva 2023: o ano das ações políticas

O ano de 2023 foi marcado por uma intensa agenda de ações políticas no Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8). Conselheiros e funcionários marcaram presença em audiências públicas, congressos e de diversas reuniões com deputados e representantes do Ministério Público.

Toda essa articulação política visou discutir projetos que garantam o direito humano à alimentação saudável. Afinal, garantir segurança alimentar e nutricional para a população é uma das missões do CRN-8. Foram cobradas medidas efetivas para se combater a fome. Nesses encontros, se ressaltou, ainda, a importância do profissional nutricionista na implantação de políticas públicas do estado.

Ao longo do ano passado, o CRN-8 encaminhou a todos os 54 parlamentares estaduais e aos prefeitos dos 399 municípios do Paraná ofícios ressaltando a necessidade de inserir os profissionais de Nutrição nas políticas públicas de saúde e alimentação. 

Confira um resumo de 2023:

ABRIL

A presidente do CRN-8, Cilene Gomes Ribeiro, e a coordenadora técnica do Conselho, Carolina Bulgacov Dratch, se reuniram com o deputado estadual Paulo Gomes para debater políticas públicas voltadas ao combate à fome, ao desperdício de alimentos, alimentação escolar e ao respeito ao direito do consumidor.

Também se reuniram com deputada estadual Cristina Silvestri para debater políticas públicas voltadas à segurança alimentar e nutricional e à presença de nutricionistas em escolas públicas e particulares, em instituições de longa permanência para idosos, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais.

MAIO

A presidente do CRN-8, Cilene Gomes Ribeiro, e a coordenadora técnica do Conselho, Carolina Bulgacov Dratch, conversaram com o deputado estadual Batatinha sobre a importância da atuação do nutricionista para a sociedade. Também houve uma reunião com Pascoal Muzeli Neto, Chefe de Gabinete do deputado estadual Márcio Pacheco, para dialogarem a respeito de implementação de políticas públicas que fortalecem o papel do nutricionista na comunidade paranaense.

No mesmo mês, Cilene se encontrou com a vereadora Amália Tortato, de Curitiba, para debater alternativas e soluções para garantir a segurança alimentar e nutricional no ensino infantil da capital do estado. Também foi discutida a necessidade de instituir mecanismos que assegurem a presença de nutricionistas em escolas públicas e particulares, em instituições de longa permanência para idosos, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais.



Leia mais em: https://crn8.org.br/presidente-do-crn-8-reune-se-com-parlamentares-para-debater-politicas-de-seguranca-alimentar/

JUNHO

A presidente Cilene Gomes Ribeiro, e a coordenadora técnica da instituição, Carolina Bulgacov Dratch, se reuniram novamente com o deputado estadual Paulo Gomes, sua equipe e técnicos da Comissão da Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Paraná para debater melhorias na legislação sobre alimentação nas escolas públicas e privadas do Paraná.

No mesmo mês, o CRN-8 protocolou um ofício junto à Secretaria Estadual de Educação solicitando que fosse realizada a abertura de novas turmas do Curso Técnico em Nutrição e Dietética no Colégio Estadual Polivalente, de Londrina.  Em resposta, a Secretaria emitiu um ofício no qual autorizou a abertura de uma turma para o 2º semestre de 2023. 

Ainda em junho, a presidente do Conselho apontou em audiência pública realizada na Assembleia Legislativa diversas ações que devem ser implementadas de forma conjunta para que medidas de prevenção e tratamento ao sobrepeso e à obesidade ocorram na sociedade. A audiência, intitulada “Ações Integradas para o Combate à Obesidade no Paraná”, foi proposta pelo presidente da Frente Parlamentar da Medicina, o deputado Ney Leprevost.

JULHO

Conselheiros e funcionários do CRN-8 participaram do XXXVII Congresso do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, realizado em Goiânia. Na oportunidade, a presidente Cilene se encontrou e conversou com a atual secretária de Informação e Saúde Digital do Ministério da Saúde, Ana Estela Haddad.

Também foi realizada uma nova reunião com a assessoria parlamentar do deputado estadual Paulo Gomes e com a equipe da Secretaria de Saúde do Município de Curitiba para debater programas de Atendimento Nutricional à população em tratamento oncológico.

AGOSTO

O CRN-8 defendeu a urgência da implementação de programas de atendimento nutricional à população em tratamento oncológico na saúde pública do estado. Após reuniões entre a diretoria do CRN-8 e o deputado estadual Paulo Gomes e sua equipe técnica, foi enviado um requerimento à Secretaria Estadual de Saúde e ao governador do Paraná solicitando medidas para que pacientes oncológicos tenham direito ao atendimento nutricional domiciliar e que seja ampliada a oferta de suplementação nutricional a essas pessoas.

Além disso, a presidente do CRN-8 se reuniu com o Secretário Municipal de Esportes, Lazer e Juventude de Curitiba, Carlos Pijak. No encontro, conversaram sobre a relação entre atividade física e a alimentação saudável e debateram a viabilidade de se costurar uma cooperação técnica.

A presidente Cilene e a gerente do Conselho, Andréa Bonilha, também participaram de uma reunião virtual com o deputado federal Diego Garcia para debater sobre o apoio do parlamentar nas questões relacionadas ao atendimento da Nutrição nos municípios do estado.

SETEMBRO

A Presidente do CRN-8, Cilene Ribeiro, juntamente com a Vice-Presidente, Thatielly Schwarzbach de Souza Garcia, a Coordenadora Técnica, Carolina Bulgacov Dratch e a assistente técnico em Nutrição e Dietética, Daiane Carvalho, estiveram em reunião com o Procurador-Geral da Justiça do Paraná, Gilberto Giacoia e o Coordenador dos Centros de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça, Moacir Gonçalves Nogueira Neto para alinhar as tratativas sobre as denúncias do leigo no exercício da profissão do nutricionista.

O Conselho também participou da audiência pública que abordou o tema “Alimentação Saudável nas Cantinas Escolares”, realizada pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Paraná. O debate foi proposto pelo presidente da Comissão, o deputado estadual Paulo Gomes.

Ainda em setembro, o CRN-8 esteve presente na I Fórum Nacional de Nutricionistas na Assistência Social. A coordenadora do Setor de Fiscalização do CRN-8, Julisse Klemtz Wagner, e a coordenadora técnica, Carolina Dratch, participaram do evento realizado em Itajaí (SC). Também esteve presente o representante do Conselho Federal de Nutricionistas, Alexsandro Wosniaki.

Além disso, a presidente do CRN-8, Cilene Ribeiro, participou da audiência pública que debateu as perspectivas e desafios diante do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e que aconteceu na Assembleia Legislativa. O objetivo do evento foi ouvir especialistas e a população afetada por TEA com foco em políticas públicas assertivas. O evento foi proposto pelo deputado Alexandre Amaro. Também foi realizada uma reunião com a Associação dos Municípios do Paraná com o objetivo de ampliar a oferta de alimentação saudável à população do Paraná.

OUTUBRO

O CRN-8 esteve na Assembleia Legislativa para acompanhar a instalação da Frente Parlamentar de Segurança Alimentar e Nutricional (FPSAN). Na oportunidade, a gerente do CRN-8, Andréa Bonilha Bordin se reuniu com a deputada estadual e coordenadora da Frente, Luciana Rafagnin.

A vice-presidente Thatielly Schwarzbach, e a coordenadora técnica Carolina Bulgacov representaram a entidade no 23º Encontro do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas), realizado em Recife (PE). O tema do evento foi “Reconstrução do Sistema Único de Assistência Social: o desafio coletivo na eliminação da fome e da pobreza, na ampliação da proteção social no Brasil”.

No mesmo mês, nutricionistas do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) da Região Sul participaram do Encontro Técnico Regional de Nutricionistas do PNAE Sul. O tema do encontro foi “Alimentação escolar é um direito humano”. A coordenadora do Setor de Fiscalização do CRN-8, Julisse Klemtz Wagner, participou do evento e abordou o Cadastro do Nutricionista Responsável Técnico e Quadro Técnico no Sistema CFN/CRN.

NOVEMBRO

O Conselho defendeu, durante audiência pública realizada na quarta-feira (22) na Assembleia Legislativa do Paraná, a implantação de políticas públicas para combater a fome e a desnutrição no Paraná. A audiência foi proposta pelo deputado estadual Requião Filho. Um dos mecanismos são as Cozinhas Solidárias, medida considerada essencial para o combate à insegurança alimentar em todo o país. A coordenadora técnica do CRN-8, Carolina Bulgacov Dratch, lembrou que a missão do Conselho é “defender o direito humano à alimentação saudável, contribuindo para a promoção da saúde da população”.

Em novembro, mais de 3 mil gestores de saúde participaram do Congresso Sul, Sudeste e Centro-Oeste de Secretarias Municipais de Saúde, realizado em Florianópolis (SC).  O evento, que teve a presença do CRN-8, reuniu gestoras e gestores municipais de saúde, teve como objetivo fomentar discussões a nível técnico e político com o intuito de renovar as ações de fortalecimento do SUS e a melhoria na resolução das demandas da saúde da população.

A presidente Cilene Ribeiro e a coordenadora Carolina Bulgacov se reuniram também com a deputada estadual Luciana Rafagnin para conversar sobre políticas públicas que podem ser adotadas pela Frente Parlamentar de Segurança Alimentar e Nutricional (FPSAN), que é coordenada pela deputada Luciana. Elas também se reuniram com o deputado estadual Requião Filho e sua equipe, ao lado da Ouvidora da Defensoria Pública do Paraná, Karollyne Nascimento, para discutir ações efetivas contra a fome e a insegurança alimentar no Paraná.



CRN-8 REALIZOU 827 AÇÕES DE FISCALIZAÇÃO EM 2023

CRN-8 realizou 827 ações de fiscalização em 2023

O Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8) realizou um total de 827 fiscalizações em 69 municípios do estado em 2023 – o que resulta em uma média superior a duas ações fiscais por dia. Desse total, 70 foram resultados de denúncias recebidas pela entidade. “Toda denúncia recebida é rigorosamente apurada para que sejam tomadas as providências cabíveis”, destaca a coordenadora do Setor de Fiscalização do CRN-8, Julisse Klemtz Wagner.

De acordo com ela, as ações fiscais visam a busca contínua pela qualidade da assistência alimentar e nutricional prestada à sociedade.  “O exercício profissional qualificado e ético, direcionado à saúde da população, beneficia a sociedade, levando ao reconhecimento do trabalho do nutricionista”, ressalta Julisse.

A fiscalização do exercício profissional, conforme determina a Resolução 527/2013 do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), deve ser pautada por uma conduta orientadora, sem perder o caráter fiscalizador, com pessoal qualificado e aliada a instrumentos e técnicas que possibilitem a unificação das práticas utilizadas pelos Conselhos Regionais de Nutricionistas.

A Política Nacional de Fiscalização (PNF) do CFN tem o intuito de assegurar que a assistência alimentar e nutricional ao indivíduo e a coletividade seja prestada por profissionais habilitados. A fiscalização também visa buscar de forma permanente a qualidade dos serviços relacionados à alimentação e nutrição e orientar os profissionais para a melhoria contínua da qualidade dos serviços contribuindo para a segurança alimentar e nutricional dos indivíduos e da coletividade.

Verão 2024: Como a nutrição contribui para uma pele saudável

Verão 2024: Como a nutrição contribui para uma pele saudável

A pele é o maior órgão do corpo humano e tem como sua função principal proteger nosso corpo. É ela que impede o atrito, a perda de água e evita a entrada de microrganismos e da radiação ultravioleta. No verão, o cuidado deve ser ainda maior. A alimentação é um dos principais fatores que influenciam na saúde da pele. A nutricionista Graziela Beduschi, cadastrada junto ao Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-8), explica que uma dieta saudável pode ajudar na redução da acne, dermatites, pele oleosa ou seca, psoríase, queda de cabelos, fragilidade nas unhas e envelhecimento cutâneo das camadas profundas que geram rugas e alteração da pigmentação da pele.

Para reduzir esses fatores, a alimentação deve ser rica em fibras, vegetais crus, frutas, legumes e proteínas magras. “Além de possuírem importantes vitaminas e minerais que neutralizam radicais livres, esses alimentos contêm fibras que melhoram o funcionamento do intestino, evitando, assim, o excesso de oleosidade e o aparecimento das indesejáveis espinhas”, explica a nutricionista.

O consumo de água também é imprescindível para uma pele saudável. “Na transpiração, a água age como um regulador de temperatura corporal. Isso ocorre não apenas durante a prática de exercícios físicos, mas a qualquer momento. Sem uma quantidade de água suficiente no organismo, o sangue se torna mais denso prejudicando o transporte de nutrientes essenciais, como vitaminas e minerais, para as células”, explica Graziela.  

A nutricionista também explica que a água revitaliza as células e mucosas, evitando a descamação e o ressecamento da pele e ajudando a prevenir a flacidez e o aparecimento ou agravamento de estrias e celulite. “Isso porque, quanto mais água se bebe, melhor a textura e a elasticidade da pele, assim como menor a retenção hídrica. A água mantém a pele hidratada e ajuda a eliminar as toxinas do corpo. Urina clara é indicativo de boa hidratação. A única urina que pode ser amarela é a primeira do dia”, salienta.

Imagens: Divulgação/Freepik

Além disso, alguns alimentos devem ser evitados para que a pele se mantenha saudável, como o excesso de doces, gorduras saturadas, frituras, excesso de bebidas alcoólicas e cafeína, pois desidratam o corpo. “Produtos ultraprocessados apresentam grande concentração de açúcar, sal, gorduras, realçadores de sabor, corantes, aromatizantes, conservantes, dentre outros aditivos, e também podem causar danos à saúde da pele, cabelos e unhas”, ressalta.

A nutricionista elencou alguns nutrientes que ajudam na saúde da pele. Confira:

Vitamina A ou o seu precursor, o betacaroteno: um dos nutrientes de maior importância para a pele. Atua contra o envelhecimento, evita a descamação da epiderme e sua desidratação. Alimentos ricos em betacarotenos têm grande poder antioxidante, são metabolizados e convertidos em vitamina A, protegendo as células do corpo dos danos causados pelos radicais livres e assegurando uma adequada manutenção e reparação de células da pele. Os alimentos ricos em betacaroteno também contribuem para a produção de melanina, que é responsável por dar cor à pele. Para sentir o efeito do betacaroteno no bronzeado, é recomendado consumir esses alimentos duas a três vezes por dia, por pelo menos sete dias antes da primeira exposição solar. Fontes: alimentos vermelhos, alaranjados e verdes, como: cenoura, caqui, abóbora, acerola, manga, mamão, maracujá, espinafre, rúcula, brócolis, couve, etc.

Vitamina C ou, simplesmente, ácido ascórbico (AA): Na pele, ele é essencial para a formação das fibras colágenas existentes em praticamente todos os tecidos do corpo humano (derme, cartilagem e ossos). É um poderoso antioxidante colaborando para a prevenção do envelhecimento da pele e ainda auxilia na cicatrização da pele. Fontes: encontrada em grande concentração nas frutas cítricas (acerola, limão, morango, laranja, tangerina, abacaxi, goiaba, etc.).

Complexo B: favorecem uma melhora no aspecto da pele e dão integridade ao epitélio. Auxiliam na regulação das glândulas sebáceas, o que contribui para a diminuição da oleosidade da pele, tornando-a mais sedosa. Fontes: grãos integrais, leite e derivados, carnes magras, entre outros.

Zinco: ajuda a combater os radicais livres, auxiliando na renovação celular. Fontes: aves, peixes, frutos do mar, leite, etc.

Ômega 3: Auxilia no combate aos danos causados pela exposição ao sol, tornando-se grandes aliados a uma pele saudável e com boa aparência e bem hidratada. Fontes: salmão, atum, sardinha, truta, anchova, nozes, linhaça, etc.

Licopeno: é um poderoso antioxidante que tem propriedades naturais que protegem contra os raios UV. Uma dieta rica em licopeno ajuda sua pele a se proteger contra os raios nocivos do sol. Fontes: melancia, tomate, goiaba e mamão.

Resveratrol: outro poderoso antioxidante, recomendado para combater os radicais livres produzidos pelo metabolismo celular. Eles atuam diretamente sobre esses radicais, revertendo sua instabilidade e fazendo com que eles não danifiquem as demais células do organismo. Logo, auxiliam a retardar o envelhecimento precoce da pele e a proteger a pele contra os danos provocados pela radiação ultravioleta. Fontes: amendoim, morango, cacau, amora, framboesa, mirtilo, uva e suco de uva integral.

Vitamina E: conhecida por neutralizar os efeitos nocivos da exposição aos raios UV e proporciona uma proteção antioxidante. Estudos dizem que a vitamina E ajuda a reduzir os danos do sol, as rugas, melhora a textura da pele e reduz o aparecimento de manchas. Fontes: oleaginosas como: nozes, avelã, amendoim, amêndoas, pistache, castanha-do-Pará, semente de girassol e gergelim, abacate, etc.