Dia Mundial da Hipertensão 2022

Dia Mundial da Hipertensão 2022

A Hipertensão Arterial (HA) é responsável por mais de 50% das Doenças Cardiovasculares (DCV). Com o objetivo de reduzir o índice das DCV, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) criou a Iniciativa HEARTS nas Américas, que vem sendo implementada em quase 1.400 unidades de saúde de 22 países, em toda a região.

De acordo com o Ministério da Saúde, o distúrbio afeta mais de 30% da população adulta em todo o mundo, com mais de 30 milhões de pessoas no Brasil. Segundo dados da OPAS, em 2021, mais de um quarto das mulheres adultas, e quatro em cada dez homens adultos, têm hipertensão no Continente Americano. Assim, deduz que tanto o diagnóstico, quanto o tratamento e o controle, têm sido ineficazes. Poucos países apresentam uma taxa de controle da hipertensão populacional superior a 50%.

A nutricionista Karin Flemming de Farias (CRN-8 3337) explica que a hipertensão arterial sistêmica – a popular “pressão alta” – é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral, doença renal crônica, insuficiência cardíaca, arritmia e demência. “Para a prevenção, tratamento e controle de doenças crônicas não transmissíveis, como a hipertensão arterial sistêmica, é necessário um estilo de vida saudável. Deve-se ter uma alimentação equilibrada, com a prática regular de atividade física, além de evitar o consumo de bebidas alcoólicas e não fumar”.

Plano Alimentar é com nutricionista!

É fundamental, segundo a nutricionista, seguir um plano alimentar saudável e sustentável, baseado em “comida de verdade”, que priorize a ingestão de frutas, verduras, legumes, cereais integrais e oleaginosas. “O consumo de proteína animal e gorduras saturadas e sódio deve ser controlado. Do mesmo modo, a quantidade do sal de cozinha usado nas preparações e, preferencialmente, sugere-se a utilização de temperos naturais. A maioria dos produtos industrializados, por utilizar o sódio como conservante, costuma conter grandes quantidades desse ingrediente na sua composição”.

Karin também alerta que se deve evitar o consumo de açúcar, gorduras hidrogenadas, produtos refinados e ultraprocessados (industrializados). “O sobrepeso e a obesidade, são fatores de risco, pois o acúmulo de gordura no organismo favorece o depósito de células gordurosas nas artérias, levando ao estreitamento dos vasos e possível aumento da pressão no interior do vaso sanguíneo”. Ela ressalta que essas substâncias, além de não colaborar na prevenção da HA, podem causar diversas outras perturbações no organismo.

A Sociedade Brasileira de Hipertensão (2017), referencia os valores da pressão arterial em:

Valor ótimo de pressão arterial: 120 x 80 mmHg

Valor normal de pressão arterial: <130/85 mmHg

Valor ideal de pressão arterial para pessoas com risco de diabetes e doença renal: <130 x 80 mmHg

Nutricionista, acesse os documentos na íntegra nos links abaixo:

Sociedade Brasileira de Cardiologia

Estatística Cardiovascular Brasil

Compartilhe
Contato
Enviar mensagem