Dia Mundial de Luta Contra a Aids – 1º de dezembro

Dia Mundial de Luta Contra a Aids – 1º de dezembro

Alimentação saudável é parte importante do tratamento da pessoa que vive com HIV/AIDS

Dia Mundial de Luta contra a Aids é em 1º de dezembro e essa data marca, a cada ano, o esforço que envolve essa luta. O objetivo é refletir sobre o assunto, divulgando ações e promovendo o compartilhamento de informações e experiências

É válido afirmar que uma alimentação saudável é importante para todos, mas, para pessoas que vivem com HIV/AIDS, essa importância é maior ainda. Nesses casos, em que o organismo tem grande necessidade energética para combater infecções, alimentar-se inadequadamente pode levar a um sério quadro de perda de peso e massa muscular, ou até mesmo à subnutrição. Isso acontece porque o organismo precisa adquirir a energia de que precisa nas reservas acumuladas de gordura e proteínas corpóreas. E também de outras complicações que precisam ser consideradas nessas pessoas.

Para saber mais sobre esse tema, o Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região (CRN-8) conversou com a nutricionista e professora Aiane Sereno CRN-8 7284, profissional com experiência em Nutrição e HIV em âmbito hospitalar e ambulatorial. Ela é pós-graduada em Nutrição Clínica, mestre em Alimentação e Nutrição e doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC/UFPR). Docente multidisciplinar de Graduação e Pós-Graduação em Nutrição é pesquisadora no Centro de Pesquisa Cline Research Center.

Destaca-se a importância do nutricionista

Aiane recomenda que todo paciente, logo após o primeiro diagnóstico, seja encaminhado ao profissional nutricionista para avaliação do seu estado nutricional. O planejamento alimentar deve ser equilibrado em carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais, como qualquer outro tipo de intervenção nutricional em outras doenças. “Contudo, é importante destacar a importância do consumo de alimentos de origem vegetal e com pigmentos naturais, tais como frutas e vegetais vermelhos, laranjas, amarelos e verdes escuros, além da cúrcuma e do gengibre, devido aos compostos ativos encontrados nesses alimentos e que podem fortalecer a imunidade, sendo esse o principal objetivo do tratamento”.

O acompanhamento nutricional é fundamental para quem vive com HIV/AIDS, principalmente no que diz respeito às modificações corporais denominadas “Síndrome da Redistribuição Gordurosa”. “Esse conjunto de alterações pode ser acompanhado por um quadro de dislipidemias e essas modificações metabólicas definem a diminuição da gordura nas regiões do rosto, braços, pernas, e nádegas e um acúmulo de gordura na região abdominal e hipertrofia mamária. Isso, além de outras complicações, como desmineralização óssea, disfunção hepática e desregulação do metabolismo da glicose”. Essas alterações metabólicas podem ser atenuadas, explica a nutricionista. Para isso, uma dieta adequada e exercícios físicos devem ser incluídos como parte do tratamento.

A relação entre alimentação e medicamentos

Com relação aos medicamentos, Aiane alerta para efeitos agudos que os antirretrovirais podem causar, como náuseas, vômitos, diarreia, constipação intestinal, cefaleia, inapetência, boca seca e/ou com feridas. “A alimentação pode ser o fator determinante para reduzir os efeitos colaterais e até mesmo melhorar a adesão do tratamento medicamentoso. No caso do Abacavir, fármaco utilizado como antiviral contra o HIV, é recomendada a administração com alimento, para diminuir a irritação gástrica. Outros medicamentos, Zidovudina, Efavirenz, Nevirapina e Amprenavir, por exemplo, podem ser ingeridos com ou sem a alimentação, no entanto, deve-se evitar a ingestão com alimentos gordurosos”.

Segundo Aiane, há fármacos que precisam ser ingeridos com alimentação, para ser melhor absorvidos pelo organismo, de preferência com alimentos gordurosos saudáveis, tais como o abacate, oleaginosas ou salada com azeite de oliva. E há os casos dos medicamentos que devem ser consumidos em jejum, para que haja melhor aproveitamento. No caso dos fitoterápicos, é fundamental haver orientação, do contrário podem haver problemas. Por exemplo, Eqüinácea, Kava-Kava e Ginko Biloba, não devem ser ingeridos sem orientação médica ou de um nutricionista especialista.

Suplementação vitamínica pode ser importante

Dependendo da fase da doença e do estado nutricional do paciente a suplementação vitamínica pode contribuir positivamente como reforço ao aporte nutricional. “Suplementos alimentares proteicos com aminoácidos essenciais são preconizados a fim de minimizar o catabolismo, principalmente naquelas pessoas com a AIDS já em progressão”.

Aiane acrescenta que a contribuição da suplementação de micronutrientes, principalmente a vitamina D e o cálcio, devem fazer parte da avaliação sistemática do metabolismo mineral, sendo consideradas necessária para essas pessoas, sempre sob orientação.

CRN-8 participa da Audiência Pública sobre a merenda escolar na ALEP

CRN-8 participa da Audiência Pública sobre a merenda escolar na ALEP

O Conselho Regional de Nutricionistas da 8º Região – CRN-8 participou ontem, 28/11, da audiência pública “Terceirização na Merenda Escolar”, realizada pela Assembleia Legislativa do Paraná – ALEP. O debate foi proposto pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos e da Cidadania da Assembleia, deputado Tadeu Veneri (PT).

De acordo com o deputado, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEED) está propondo e, efetivamente, encaminhando o processo de terceirização da merenda escolar. Veneri salientou que há mais de 20 mil pequenos produtores paranaenses inscritos no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) que serão prejudicados. Além disso, segundo ele, os estudantes podem perder a garantia de uma alimentação saudável. “Na lógica empresarial do secretário, a produção e a distribuição da merenda é um negócio e não um serviço público. Esta audiência pública tem o objetivo de mobilizar a população num movimento de resistência a essa proposta que prejudicará os estudantes e os agricultores familiares que fornecem os alimentos para as escolas da rede pública estadual”.

O nutricionista Alexsandro Wosniaki representou o CRN-8 na audiência e afirmou que a alimentação escolar pública deve ser incentivada e não terceirizada. Nesse sentido, salientou que há a necessidade de contratação de nutricionistas para que cada núcleo regional da SEED possa contar com um profissional capacitado e responsável pela alimentação escolar. Atualmente, o estado conta com um quadro de apenas quatro nutricionistas para as mais de 2100 escolas. “O Programa de Alimentação Escolar Paranaense já foi indicado a prêmios por sua eficácia. Representa um leque de oportunidades econômicas e socioambientais para toda a sociedade, pois fomenta a agricultura familiar, promove a compra direta do produtor de alimentos agroecológicos e orgânicos”.

A vice-presidente do Conselho Estadual de Alimentação Escolar – CEAE, a nutricionista Juliana Bertolin Gonçalves alerta sobre a importância do diálogo para que a proposta de terceirização seja mais clara. “A alimentação escolar do Paraná é uma das referências em gestão e aplicação dos recursos, além de possuir uma malha de oferta de produtos oriundos da agricultura familiar que corresponde a mais de 30%”. Ela também falou sobre a necessidade de ampliar os aspectos que a comida produzida na escola proporciona. “Aspectos estes que estão em consonância com a Segurança Alimentar e Nutricional – SAN e devem ser preservados e garantidos”.

Além do Deputado Tadeu Veneri e dos representantes do CRN-8, participaram da audiência o deputado Professor Lemos, a deputada Luciana Rafaing, representantes de pais, professores, estudantes, associações de agricultores familiares e o Poder Público, representado pelo Ministério Público.

Técnica em Nutrição e Dietética é a nova funcionária do CRN-8

Técnica em Nutrição e Dietética é a nova funcionária do CRN-8

A nova funcionária do Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região, Daiane Aparecida Carvalho Silva é Técnica em Nutrição e Dietética e ingressou na autarquia por meio do concurso público realizado pelo Instituto Quadrix.
Daiane iniciou as atividades no CRN-8 em outubro deste ano e, de acordo com ela, quando se candidatou estava em busca de uma oportunidade profissional. “No concurso vi uma chance para iniciar na profissão. Como profissional, me senti valorizada pelo fato do CRN-8 ter publicado um concurso específico para Técnico em Nutrição e Dietética. É animador saber que temos espaço para atuar”.
Ela conta que está muito feliz em fazer parte da equipe. “Espero contribuir em benefício do Conselho, da sociedade e dos nossos profissionais”.
Segundo a Gerente do CRN-8, Andréa Bonilha Bordin, “O setor de cadastro ganhou muito mais agilidade com a Daiane, ela assumiu o cargo de assistente técnico em nutrição e dietética e é uma profissional qualificada para a área”.

Dia Mundial do Combate ao Diabetes: Acesso aos cuidados: se não agora, quando?

14 de novembro – Dia Mundial do Combate ao Diabetes: Acesso aos cuidados: se não agora, quando?

O Dia Mundial do Diabetes, celebrado em 14 de novembro, foi uma data escolhida pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para reforçar a conscientização a respeito da doença. O propósito é evidenciar a importância da prevenção e oferecer alternativas para as dificuldades enfrentadas pelos pacientes diabéticos.

Em cada ano, um tema é definido para a campanha e, em 2021, o escolhido é “Acesso aos cuidados: se não agora, quando?”, que remete à importância de que pacientes com diabetes tenham acesso garantido à insulina, medicação oral, educação, suporte psicológico, a nutrição, atividade física e a automonitorização.

Brasil é o 5º país em incidência de diabetes no mundo, com 16,8 milhões de doentes adultos (20 a 79 anos). É superado apenas pela China, Índia, Estados Unidos e Paquistão. A estimativa da incidência da doença em 2030, em nosso país, chega a 21,5 milhões e, enquanto um em cada dez adultos vive com diabetes, metade não sabe do diagnóstico.

Você conhece seus direitos?

Conforme estabelecido na Lei Federal 11.347/2016, em seu artigo primeiro, “Os portadores de Diabetes receberão, gratuitamente, do Sistema Único de Saúde – SUS, os medicamentos necessários para o tratamento de sua condição e os materiais necessários à sua aplicação e à monitoração da glicemia capilar”. Porém, o artigo segundo da mesma Lei, salienta que o Ministério da Saúde (MS) selecionará uma lista de medicamentos e materiais para fornecimento gratuito, que está definida na Portaria 2583/2007 do MS.

Alguns municípios e estados, por iniciativa própria, ampliam essa lista, fornecendo ao paciente itens que não constam na mencionada Portaria. Isso acontece por meio de normas regionais e programas estaduais de dispensação de medicamentos.

Terapia Nutricional também é um direito

O Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região conversou com a nutricionista Deise Regina Baptista, que tem vasta experiência no atendimento ao paciente diabético. Segundo ela, a terapia nutricional é uma das partes mais desafiadoras do tratamento e das estratégias de mudança do estilo de vida. “A relevância da nutrição no tratamento do diabetes mellitus (DM) tem sido enfatizada, bem como o seu papel desafiador na prevenção, no gerenciamento da doença e na prevenção do desenvolvimento das complicações decorrentes”.

Deise afirma que pessoas com diabetes devem exigir consultas regulares com nutricionista especializado em DM. Ela recomenda que, ao perceber os primeiros sintomas, deve-se procurar o posto de saúde e requerer acompanhamento nutricional especializado, a fim de garantir o Direito a Alimentação Adequada e Saudável no tratamento. “De forma individualizada, esse profissional definirá o plano alimentar e as escolhas alimentares para melhor controle glicêmico, pressórico, de lipídeos e peso, reduzindo o risco de complicações macro e microvasculares”.

A SAÚDE DO HOMEM – Novembro Azul: mês mundial de combate ao câncer de próstata

A SAÚDE DO HOMEMNovembro Azul: mês mundial de combate ao câncer de próstata

Escolhas saudáveis de alimentação fazem diferença na proteção contra o adoecimento. Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), a alimentação inadequada é a segunda causa do adoecimento por câncer.

Com a chegada do Novembro Azul, a conscientização contra o câncer de próstata e a discussão sobre meios de prevenção se tornam cada vez mais frequentes. A taxa de incidência desse tipo de doença é maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento. No Brasil, de acordo com a Associação Saúde da Próstata, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. O mais assustador é que, em valores absolutos, considerando o aparecimento dos diversos tipos de câncer em ambos os sexos, o de próstata é, ainda, o segundo tipo mais comum.

Ney Felipe Fernandes (CRN-8 nº 4085), conselheiro do CRN-8, fala sobre a importância das frutas, principalmente as ricas em licopeno, como melancia e goiaba, para estimular a capacidade antioxidante do organismo. Segundo ele, o aumento de incidência das doenças crônicas não transmissíveis está bem documentado. “Temos, dentre elas, a diabetes, as cardiopatias, doenças neurológicas, as doenças pulmonares e o câncer, que é uma anomalia em nível molecular: a célula apresentando um comportamento anômalo, ‘se recusa’ a ser substituída”.

Importante consumir frutas ricas em licopeno

Falar em prevenção do câncer implica em observar a diminuição de determinados fatores de risco, evitando a “medicamentalização” do alimento. Um estilo de vida saudável é importante para evitar a inflamação clínica de baixo grau e o consumo de frutas fortalece a capacidade antioxidante do organismo. No mesmo sentido, estimular o encurtamento telomérico de células cancerígenas, como faz o brócolis, pode ser fundamental.

A melancia, além de ser uma boa fonte de cis-licopeno (4,5mg/100g), é também fonte de citrulina, o que ajuda na perfusão sanguínea e na saúde cardiovascular, o que pode ser muito importante, já que os homens são mais predispostos a eventos cardiovasculares. “Para a saúde da próstata parece ser interessante o consumo de frutas ricas em licopeno, esse carotenoide muito especial que já demonstrou, em estudos prévios, modular a atividade da 5 alfa-redutase. A goiaba também é uma fruta riquíssima em licopeno, chegando até a 6mg/100g de fruta, dependendo do cultivo. Temos ainda o tomate e o mamão como boas fontes de licopeno”.

Sistema CFN/CRN é recebido por deputado federal da Comissão que analisa a Lei dos Planos de Saúde

Sistema CFN/CRN é recebido por deputado federal da Comissão que analisa a Lei dos Planos de Saúde

O Deputado Federal Reinhold Stephanes Junior (PSD) recebeu ontem, 25/10, para falar sobre a aprovação do PL 5881/2019, o conselheiro Alexsandro Wosniaki, representante do CRN-8 no CFN. Além do conselheiro, também estavam presentes, a gerente, a coordenadora técnica e a assessora de comunicação do CRN-8 Andréa Bonilha, Carolina Bulgacov e Karina Ernsen.

O Conselheiro Federal Alexsandro Wosniaki falou da importância da aprovação do projeto para a sociedade e para a atuação do nutricionista: “O projeto prevê mais do que a atuação do Nutricionista na sua integralidade, mas a garantia do beneficio à sociedade, pois o nutricionista trabalha com prevenção e promoção da saúde, e desta forma seriam assegurados todos os recursos terapêuticos, possibilitando um diagnóstico nutricional e uma prescrição dietoterápica adequada.”

Reinhold Stephanes Jr. recebeu a Nota Técnica do sistema CFN/CRN e afirmou ser a favor da aprovação do projeto e afirmou estar ao lado dos nutricionistas do Paraná. “Além de ser um projeto importante para os nutricionistas, também beneficia toda a sociedade”.

A apresentação do relatório final da comissão pode ser feita a qualquer momento. Caso seja aprovado, o PL 5.881/2019 ainda será enviado para o Plenário da Câmara dos Deputados para ser votado pelo parlamento e, depois, no Senado Federal.

Programa Nacional de Prevenção à Corrupção

Programa Nacional de Prevenção à Corrupção

O Conselho Regional de Nutricionistas da 8ª Região conclui a avaliação inicial do Programa Nacional de Prevenção à Corrupção.

A adesão ao programa visa a implantação de práticas que aprimorem a integridade nas organizações. O CRN-8 trabalha para intensificar o relacionamento com a sociedade.

O CRN-8 também tem em seus valores a transparência, conduta ética, respeito às pessoas, responsabilidade técnico-científica e responsabilidade socioambiental.

Além de publicizar suas atividades, garantindo o pleno acesso à informação, por meio de ferramentas de transparência, seguindo as diretrizes presentes na Lei de Acesso à Informação (Lei nº 12.527/2011).

Para mais informações acesse o site Rede de Controle

Acesse aqui o Relatório de Gestão do CRN-8 2020

Acesse aqui o Portal da Transparência do CRN-8

O futuro da comida está em nossas mãos

O futuro da comida está em nossas mãos

Acesse o texto original no site da FAO

Sistema agroalimentar é um termo complexo que pode parecer distante da sua realidade, mas você sabia que nossas vidas dependem deles? Cada vez que você come, você participa do sistema. Os alimentos que escolhemos e a forma como os produzimos, preparamos, cozinhamos e armazenamos fazem de nós uma parte integrante e ativa do funcionamento de um sistema agroalimentar. 

Um sistema agroalimentar sustentável é aquele em que uma variedade de alimentos suficientes, nutritivos e seguros estão disponíveis a um preço acessível para todos e ninguém passa fome ou sofre de qualquer forma de desnutrição. As prateleiras são estocadas no mercado local ou loja de alimentos, mas menos alimentos são desperdiçados e a cadeia de abastecimento de alimentos é mais resistente a choques como condições meteorológicas extremas, picos de preços ou pandemias, ao mesmo tempo em que limitam, em vez de piorar, a degradação ambiental ou as mudanças climáticas . Na verdade, os sistemas agroalimentares sustentáveis ​​proporcionam segurança alimentar e nutricional para todos, sem comprometer as bases econômicas, sociais e ambientais, para as gerações futuras. Eles levam a uma melhor produção, melhor nutrição, melhor meio ambiente e uma vida melhor para todos. 

Melhor produção, melhor nutrição, um melhor ambiente e uma vida melhor

Por que se importar?

Os sistemas agroalimentares empregam 1 bilhão de pessoas em todo o mundo, mais do que qualquer outro setor econômico. Além disso, a forma como produzimos, consumimos e, infelizmente, desperdiçamos alimentos cobra um preço alto em nosso planeta, colocando pressão desnecessária sobre os recursos naturais, o meio ambiente e o clima. A produção de alimentos muitas vezes degrada ou destrói habitats naturais e contribui para a extinção de espécies. Essa ineficiência está nos custando trilhões de dólares, mas, o mais importante, os sistemas agroalimentares de hoje estão expondo profundas desigualdades e injustiças em nossa sociedade global. Três bilhões de pessoas não podem pagar por dietas saudáveis, enquanto o sobrepeso e a obesidade continuam a aumentar em todo o mundo.    

A pandemia COVID-19 sublinhou que é necessária uma mudança urgente de rota. Isso tornou ainda mais difícil para os agricultores – já lutando com a variabilidade climática e os extremos – vender suas colheitas, enquanto o aumento da pobreza está levando um número cada vez maior de residentes da cidade a usar os bancos de alimentos, e milhões de pessoas precisam de ajuda alimentar emergencial. Precisamos de sistemas agroalimentares sustentáveis ​​que sejam capazes de alimentar 10 bilhões de pessoas até 2050. 

E agora?

Soluções existem. Os governos  precisam redefinir políticas antigas e adotar novas que promovam a produção sustentável de alimentos nutritivos a preços acessíveis e promovam a participação dos agricultores. As políticas devem promover a igualdade e a aprendizagem, estimular a inovação, aumentar a renda rural, oferecer redes de segurança aos pequenos produtores e construir resiliência climática. Eles também precisam considerar as múltiplas ligações entre as áreas que afetam os sistemas alimentares, incluindo educação, saúde, energia, proteção social, finanças e muito mais, e fazer as soluções se encaixarem. E eles precisam ser apoiados por um grande aumento no investimento responsável e forte apoio para reduzir os impactos ambientais e sociais negativos em todos os setores, especialmente o  setor privado ,  a sociedade civil , pesquisadores  e  academia .  

O Secretário-Geral da ONU está convocando a primeira  Cúpula de Sistemas Alimentares  em setembro de 2021 para formar um consenso sobre novas ações ousadas para transformar a maneira como o mundo produz e consome alimentos, com o objetivo de voltar a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.  

Nossas ações são nosso futuro

Os governos, o setor privado, a sociedade civil, as organizações internacionais e a academia também precisarão da  nossa ajuda . Precisamos influenciar o que é produzido, aumentando nossa demanda por alimentos nutritivos produzidos de forma sustentável e, ao mesmo tempo, ser mais sustentáveis ​​em nossas ações diárias, em primeiro lugar reduzindo a perda e o desperdício de alimentos. Também temos a responsabilidade de divulgar, conscientizando sobre a importância de um estilo de vida saudável e sustentável. Os esforços para mitigar as mudanças climáticas, a degradação ambiental e nosso bem-estar, todos dependem disso. Precisamos ativar um movimento por alimentos que defenda mudanças ambiciosas. 

O que é um sistema agroalimentar?

Explore as várias partes do sistema agroalimentar para desmistificar tudo o que se passa na produção de nossos alimentos e outros produtos agrícolas não alimentares, e examine as maneiras como nós, consumidores, produtores, comerciantes, podemos fazer mudanças para transformar esses sistemas em um só. apto para o futuro.  

Dia Mundial da Alimentação – é o seu dia!

A ação coletiva em 150 países é o que torna o Dia Mundial da Alimentação um dos dias mais celebrados do calendário da ONU. Centenas de eventos e atividades de divulgação reúnem governos, empresas, ONGs, a mídia e o público em geral. Promovem a conscientização e a ação mundial para aqueles que passam fome e para a necessidade de garantir uma alimentação saudável para todos.

#WorldFoodDay 2021 será marcado pela segunda vez enquanto os países ao redor do mundo lidam com os efeitos generalizados da pandemia global Covid-19. É hora de olhar para o futuro que precisamos construir juntos.

Faça do #WorldFoodDay o seu dia – compartilhe sua ação individual online ou participe da chamada desenvolvendo um evento ou atividade virtual.

Novo colegiado do CRN-8 tomou posse em solenidade híbrida na última sexta-feira

Novo colegiado do CRN-8 tomou posse em solenidade híbrida na última sexta-feira

Tomou posse, na última sexta-feira (01/10), a 6ª gestão do Conselho Regional de Nutricionistas da 8º Região – CRN-8. A cerimônia foi realizada de forma híbrida. Parte dos conselheiros, bem como o representante do CRN-8 no Conselho Federal de Nutricionistas, se reuniram presencialmente na Sala Praça San Marco – no edifício da sede do CRN-8. Os demais participaram no formato online, em videoconferência transmitida pelo Canal do CRN-8 no YouTube.

A mesa da solenidade de posse foi formada pelo presidente do Conselho Federal de Nutricionistas – CFN Élido Bonomo, pelo conselheiro Alexsandro Wosniaki (representante do CRN-8 no CFN) e pelas nutricionistas Cilene da Silva Gomes Ribeiro, presidente do CRN-8, que também representou a chapa vencedora.

O presidente do CFN abriu a Cerimônia de Posse e saudou os presentes, salientando a importância do Sistema CFN/CRN para defender o Direito Humano à Alimentação Adequada e Saudável neste momento de instabilidade econômica, de crise sanitária e de perdas de direitos relacionados à alimentação e nutrição.

A nutricionista Cilene da Silva Gomes Ribeiro empossou o novo colegiado e parabenizou os conselheiros e a equipe que esteve junto nestes últimos anos. “Como nova gestão, buscaremos ampliar as ações de sucesso das gestões anteriores e a comunicação com os nutricionistas, com a valorização destes profissionais”.

O nutricionista Alexsandro parabenizou a nova gestão e se colocou à disposição do CRN-8. O conselheiro também salientou os desafios que os conselheiros aceitam passar de forma voluntária, para defender a Segurança Alimentar Nutricional e valorizar os nutricionistas.

Colegiado 2021-2024

PLENÁRIO

O plenário do CRN-8 é formado por 18 conselheiros efetivos e suplentes. A gestão 2021-2024 é formada pelos seguintes conselheiros:

Conselheiros Efetivos

Cilene da Silva Gomes Ribeiro CRN-8 nº 418

Cíbele Pereira Kopruszynsk CRN-8 nº 709

Gisele Pontaroli Raymundo CRN-8 nº 432

Letícia Mazepa CRN-8 nº 2911

Lilian Mitsuko Tanikawa CRN-8 nº 1183

Ney Felipe Fernandes CRN-8 nº 4085

Pietra Oselame da Silva Dohms CRN-8 nº 5204

Thatielly Schwarzbach de Souza Garcia CRN-8 1705

Veridiane Guimarães Ribas Sirota CRN-8 nº 10170

Conselheiros Suplentes

Ana Paula Garcia Fernandes dos Santos CRN-8 nº 11925

Catiane Zelak Abreu CRN-8 nº 580

Elaine Cristina Vieira de Oliveira CRN-8 nº 6785

Eloyse Weeny Ramos Bieberbach Ceschim CRN-8 nº 6776

Juliana Rodrigues Dias Guedes CRN-8 nº 6775

Kelly Franco de Lima CRN-8 nº 2656

Nanci Rouse Teruel Berto CRN-8 nº 2127

Tatiana Marin CRN-8 nº 1727

Thais Bordenowsky da Silva CRN-8 nº 3821

SEMINÁRIO DE TRANSIÇÃO DE GESTÃO

Na mesma tarde do dia da posse, com o objetivo de transferir o conhecimento do funcionamento do Conselho Regional, ocorreu o Seminário de Transição, com a participação do colegiado 2021/2024 e dos conselheiros integrantes da Gestão anterior (2018/2021).

No Dia Internacional do Idoso lembre-se: beba água!

No Dia Internacional do Idoso lembre-se: beba água!

O Dia Internacional do Idoso, celebrado em 1º de outubro, foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1991 e tem como objetivo sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e da necessidade de proteger a população mais idosa. Uma das condições mais importantes para a saúde de uma pessoa idosa é a de estar adequadamente hidratada e a nutricionista Flávia Cristina Severo CRN-8 5761 fala, neste texto, sobre como cuidar da saúde para ter uma melhor qualidade de vida por meio de uma boa hidratação.

Além de afetar o abastecimento de água, a estiagem prejudica muito a agricultura, favorece incêndios florestais e também traz prejuízos diretos à saúde. Os efeitos no organismo estão relacionados principalmente ao comprometimento das vias aéreas, causando complicações respiratórias. As crianças e idosos são os principais afetados, merecendo cuidados especiais. Algo simples e importantíssimo é a ingestão frequente de água. Porém, para a população idosa, esse simples ato de beber água, pode ser algo desafiador dentro da rotina diária, uma vez que eles apresentam prejuízo no reflexo de sede e de muitos evitarem o consumo de água devido a problema de incontinência urinária – o que é muito comum entre esta população.

Além dos prejuízos para as vias aéreas, a baixa ingestão hídrica interfere negativamente na função intestinal, na hidratação da pele, na absorção de vitaminas hidrossolúveis, entre outros. A desidratação pode manifestar alguns sintomas como: cefaleia (dor de cabeça), apatia e até delírios.

Uma boa forma de monitorar se a quantia ingerida está sendo suficiente é observar a cor da urina; quanto mais amarelo concentrado, maior a necessidade de aumentar a ingestão hídrica. Quanto mais claro, melhor deve estar o consumo. Cabe aos cuidadores e pessoas próximas, incentivar a ingestão de água em pequenos volumes e organizar uma rotina de horários para oferta de água e demais líquidos. Também podemos pensar em alternativas, como saborizar a água com frutas e folhas de chá, como: abacaxi com hortelã, laranja e cidreira, goiaba e erva doce.

Além da água pura ou saborizada, há os chás claros, como: hortelã, cidreira, erva doce e erva Luiza. Água de coco e sucos naturais são sempre bem-vindos. Para os dias quentes, também podemos pensar em uma hidratação com picolé caseiro de água de coco com frutas picadas (abacaxi, morango, kiwi, manga) e também picolé de suco de frutas. As frutas também devem ser priorizadas nos lanches intermediários às grandes refeições. Essas dicas valem também para as crianças e para os outros membros da família.

Você já tomou água hoje? Já ofereceu às crianças e idosos da sua casa?

Cuide-se e cuide de quem está ao seu lado. Hidratação para todos e um feliz dia do idoso!”

Flávia Cristina Severo CRN-8 5761