A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO SETOR HOSPITALAR

A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO SETOR HOSPITALAR

Entre os profissionais da saúde que atuam na equipe multiprofissional está o nutricionista. Fundamental durante a infecção de por Covid-19 e também na recuperação, tem estudado a ciência da Nutrição para melhorar a recuperação e a qualidade de vida de quem enfrentou essa doença

A pandemia de covid-19 mudou a realidade de toda a população. E a atuação dos profissionais da área da saúde se intensificou. Nutricionistas atuam em diversas áreas, como na produção, elaboração dos alimentos e na segurança alimentar nutricional, como em hospitais, junto aos pacientes, no pós-hospitalização, na reabilitação dos pacientes, consultórios e ambulatórios.

Dentro dos hospitais a atuação do nutricionista é fundamental e na pandemia de covid-19 se mostrou fundamental, tanto durante quanto no pós-covid. O nutricionista Paulo Victor Gomes Modanese (CRN-8 7329) é responsável pela Enfermaria Respiratória I e Infectologia do Hospital de Clínicas (HC) da UFPR, atuando diretamente na linha de frente da covid-19 e HIV/AIDS, tuberculose e outras doenças infecciosas. Ele avalia que a nutrição é uma ciência, mas é muito mais do que isso, é empatia, dedicação, humanidade. “Somos nós que, com base da evolução clínica diária do paciente, desenvolveremos estratégias dietéticas para melhor recuperação. O resultado tem sido muito gratificante, pois vamos além da ciência da nutrição, praticamos assistência humanizada”.

Victor explica que vários sintomas que o paciente com covid apresenta são relacionados com a alimentação, tornando o nutricionista um dos profissionais essenciais no tratamento “Pacientes com a covid-19 apresentam uma série de sinais e sintomas, como náusea, vômito, diarreia, alteração do paladar, alteração do olfato, anorexia, que levam a necessidades de adaptações na sua terapia nutricional. Pacientes internados em unidade de terapia intensiva, passam por períodos prolongados em ventilação mecânica, fazem uso de drogas vasoativas, bloqueadores neuromusculares, opioides, que requer terapia nutricional via sonda ou parenteral. De acordo com a fase em que o paciente se encontra e sua evolução clínica, terá uma necessidade em relação as calorias, macro/micronutrientes, volume, entre outras”.

A exaustão na pandemia

A pandemia transformou o trabalho de quem atua nos hospitais, os profissionais que estão atuando diretamente junto aos pacientes com covid-19, estão esgotados física e emocionalmente. “Junto com várias colegas, fazemos parte da linha de frente. No meu caso, atuo nas enfermarias respiratórias e não tem sido fácil, mas seguimos firmes, pois nosso trabalho durante o tratamento e recuperação dos pacientes a curto e longo prazo é essencial”.

Victor conta que nesta pandemia passou por diversas situações difíceis, momentos em que encarou a dor do outro como se fosse sua, e fala que é preciso empatia nestes tempos tão pesados “É importante sentir de forma genuína o que o outro sente. Veremos o quanto todos somos importantes, seja na área da saúde ou em qualquer outra. Tínhamos saído da linha da miséria e voltamos. Percebo uma falta de compaixão com a dor do outro. Se você pode ficar em casa e ainda ter o que comer, é um privilegiado. Pessoas em vulnerabilidade social, não têm escolha neste país”. 

Agradecimentos e valorização

Trabalhando no hospital, mas também junto aos seus colegas, o nutricionista sente que a sociedade precisa valorizar mais estes profissionais. “Embora extremamente importante e considerado primordial na assistência ao paciente com a covid-19, esse trabalho tem sido pouco divulgado, aquém do merecimento”, diz e expressa admiração por todas as colegas. “As nutricionistas batalham todos os dias para levar às pessoas uma melhor qualidade de vida por meio da ciência da nutrição, mas quero agradecer em especial, deixar a minha admiração e agradecimento, à Dra Sandra Justino, que sempre atuou fortemente com o paciente crítico e me instruiu a como ser um nutricionista melhor a cada dia. Também quero homenagear a nutricionista Jéssica Alves de Paula, que atua na UTI COVID desde o início da Pandemia e demonstrou o quanto a nutrição na beira do leito é essencial para uma conduta coesa e eficaz”. 

O CRN-8 trabalha para que os nutricionistas e os técnicos em nutrição e dietética sejam valorizados. É fundamental a união dos profissionais sempre, mas neste momento ainda mais.

#juntossomosmaisfortes

Compartilhe