A pandemia e os desafios na UAN

A pandemia e os desafios na UAN

A pandemia transformou o dia a dia de todas as pessoas e isso inclui a área profissional. As profissões da área da Saúde, como a Nutrição, foram afetadas diretamente. Nutricionistas atuam em diversas áreas, como em hospitais, junto aos pacientes, no pós-hospitalização, na reabilitação e nos consultórios. Isso, sem falar da produção e elaboração dos alimentos, bem como na Segurança Alimentar Nutricional de toda a população, um fator fundamental para a promoção da saúde.

Débora Fernandes Pinheiro, CRN-8 12098 é uma destas profissionais. Ela é Gerente de uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) e conta que, além de ter sido necessária uma adaptação rápida à nova realidade, há a pressão para continuar produzindo da mesma forma que fazia antes da pandemia. Isso, mesmo não podendo contar com o quadro de colaboradores completo, pois os atestados de covid são frequentes. “Essas mudanças afetaram muito a nossa rotina. Tivemos que nos adaptar rapidamente e há muita pressão para que o trabalho ocorra como se não houvesse mudanças. Implementamos planos de ação e é preciso colocá-los em prática em questão de dias. E temos a falta de pessoal, diariamente, por consequência da covid”.

Débora conta que faz treinamentos frequentes para tentar garantir a segurança dos colaboradores, porém nem sempre é possível afastar o vírus. “Nossos colaboradores são treinados frequentemente, por mim e pelo técnico de segurança, devido as adaptações que ainda estamos vivendo. Isso vai perdurar por muito tempo, pois sermos uma empresa de grande porte e trabalhar com tanta gente nos coloca em risco”.

Além do treinamento, a nutricionista listou outras medidas realizadas pela empresa em tempos de pandemia:

  1. Contratação de 10 novos funcionários (em todos os turnos conforme demanda);
  2. O servimento foi individualizado e feito pelas funcionárias;
  3. A utilização de face shields e óculos de proteção;
  4. Adesivos de distanciamento nas filas;
  5. Contração de um fiscal na porta da unidade para controlar quantos comensais estão alocados no interior do restaurante;
  6. Pia externa para clientes lavar as mãos;
  7. Instalação de álcool em gel no banheiro e em na entrada e saída do restaurante;
  8. Suqueiras com sensor para evitar contato físico (toque);
  9. utilização de duas máscaras (preta até horário do almoço e vermelha após horário do almoço);
  10. Instalação de acrílico nas mesas para evitar contato (sendo apenas duas pessoas por mesa);
  11. Higienização dos acrílicos, mesas, e cadeiras com álcool, além de uma placa sinalizando se a mesa foi higienizada ou não.
  12. Acrílico do balcão do atendimento (rampas de alimentos)
  13. Álcool em gel ao lado da batida do ponto
  14. Retirada da porta para não encostar na maçaneta
  15. Talheres individualizados (colher, garfo, faca, guardanapo e palito)
  16. Saladas em potes individualizados
  17. Treinamentos com técnicos de segurança sobre a importância do cuidado.

UAN em Hospital

Amanda Ribeiro Dall’Agnol CRN-8 7210, nutricionista gerente do planejamento de UAN da área hospitalar de Curitiba, atende pacientes e o refeitório dos funcionários. Ela conta que por conta da pandemia a equipe se adaptou e preparou refeições que permitiram o conforto dos que estão internados, mas afirma que é preciso garantir a segurança dos trabalhadores do hospital. “Temos feitos preparações diferenciadas para pacientes com Covid internados. Mandamos tudo nos descartáveis, fazemos alimentos mais macios, pois eles relatam mais dificuldade na deglutição. Mandamos sal de ervas para melhorar o paladar e mandamos também limão para que possam colocar na comida, ajudando a reduzir as náuseas”.

Para evitar o desperdício, Amanda conta que serviam as refeições de acordo com cada pessoa e que o cardápio variado é eficaz para a melhora da imunidade. “Nosso cardápio é bem variado, com legumes, verduras e frutas. Para evitar o desperdício, no início da pandemia, fizemos o servimento porcionado, quando perguntávamos ao colaborador a quantidade e o que ele gostaria no prato. Hoje em dia, nosso buffet é liberado para o próprio servimento. Porém, é obrigatório que todos lavem as mãos e usem álcool. Temos uma pessoa focada nesse procedimento na entrada do refeitório”.

Compartilhe
Contato
Enviar mensagem